Zen Socialismo: Os melhores posts do blog socialista morena

revisa1_montada_capa_zen_socialismo_v3
Autora: Cynara Menezes
Gênero: Jornalismo
Acabamento: Brochura
Formato: 15,6x23cm
Págs: 240
Peso: 270g
ISBN: 978-85-8130-336-9
Preço: R$ 36,00

E-book
ISBN: 978-85-8130-337-6
Preço: R$ 22,00

Sinopse:
A internet é um poço sem fundo de informação. É preciso atenção para encontrar algo de bom. Em ZEN SOCIALISMO (Os melhores post do blog Socialista Morena), de Cynara Menezes, reúne o que de melhor esta jornalista que prega a necessidade de uma nova esquerda no país escreveu em sua peregrinação ao mesmo tempo lúcida, denunciadora e bem-humorada pelos problemas, paranoias, fobias, absurdos ideológicos, retrocessos e baixezas da direita brasileira (e de seus adeptos mal informados) pelas redes sociais brasileira. Reunidos em blocos temáticos como Socialismo, Brasil, Camaradas, Mundo, Maconha, Jornalismo, Vida, Sexualidade e Entrevistas, os posts são uma leitura em que o prazer do texto se confunde com o prazer de ser bem informado e de se deparar com uma inteligência lúcida que nos diz um pouco do que precisamos saber sobre o socialismo do século XXI sem as cortinas de fumaça da mídia tradicional. É isso, ainda é possível fazer o bom e velho jornalismo.

Leia o primeiro capítulo 

———————————————————————-

DÚVIDAS, ABSURDOS E PRECONCEITOS DA INTERNET ESCLARECIDOS POR UMA BLOGUEIRA QUE ASSUME UM SOCIALISMO SEM RANÇOS HISTÓRICOS

Os blogs de notícias, opiniões e enfoques literários têm provado, mesmo a quem nem mesmo se dá ao trabalho de lê-los, uma grande verdade: a verdadeira informação, transparente e sem interesses financeiros e ideológicos travando o informante como ocorre nas áreas dos grandes jornais e redes de tevê, mudou-se para os blogs pessoais e independentes.

O jornalismo tradicional foi se tornando cada vez mais veículos em que, como diz Cynara Menezes, os jornalistas identificam-se com as dores do patrão, achando-se pertencentes também a uma elite. Com uma imprensa “dominada”, voltada para celebridades fúteis e para o ataque sistemático aos que não se identificam com seus ideais capitalistas e mercadológicos, é natural que muitos jornalistas, como a própria Cynara que trabalhou na Folha de S.Paulo e na revista Veja, entre outras publicações da grande mídia, tenham optado por vias mais livres para a transmissão fiel de seus pensamentos.

A prova é o livro Zen Socialismo (Os melhores posts do blog “Socialista Morena”), coletânea de publicações de Cynara que dispara tiros em várias direções numa verdadeira “metralhadora giratória”, mas mantém como espinha dorsal um tributo essencial ao grande socialista e nacionalista brasileiro Darcy Ribeiro, que cunhou a expressão “socialismo moreno”. Como a sistemática difamação do socialismo tem se processado diariamente na grande imprensa e em posts das redes sociais, confundindo-o com o comunismo no sentido mais rançoso da palavra, gerando um direitismo difuso que ataca até mesmo os mais jovens (para perplexidade de Cynara, que vem de uma geração em que ser jovem era ser contestador quase que por automatismo), Cynara faz em Zen Socialismo uma definição de si mesma como socialista convicta (nascida à leitura de um poema de Brecht) e empreende um trabalho necessário de esclarecimento sobre os muitos socialismos que já existiram, a queda do Muro de Berlim, as safadezas da ideologia neoliberal ao decretar a ideologia morta, estabelecendo até mesmo “Doze Mandamentos do Esquerdista Moderno” e sendo a um só tempo divertida e séria ao esclarecer o comunismo aos “comunistofóbicos” “dummies” (idiotas) com suas investidas desmistificadoras e bem-humoradas.

O livro (Geração Editorial, 240 páginas) é dividido em blocos temáticos que permitem à jornalista discorrer sobre ideologia e política com a máxima atualidade – assim, não nos admiramos de vê-la comparando o papa Francisco a Pepe Mujica, mostrando o ranço direitista que se apossou de roqueiros como Lobão e Roger, do Ultraje a Rigor, voltando a examinar figuras importantes e um tanto esquecidas da literatura brasileira, como Alex Pollari e Carolina de Jesus, revelando facetas interessantes de historiadores e escritores esquerdistas, como Eduardo Galeano, Eric Hobsbawn e José Saramago. Cynara fala de sua trajetória em tons confessionais, contando de sua decepção com o jornalismo da Folha de S.Paulo e da revista Veja e dizendo da importância que o livro “Ecce Homo”, de Nietszche, teve num momento decisivo de sua vida.

Cynara também toca no ponto importante da formação de uma nova esquerda – em que acredita – num país que sofreu decepções com a derrocada do PT no Governo Federal nos últimos anos. Desnudando preconceitos com humor, ironia e uma disposição guerreira, não deixa que um só dos clichês anticomunismo, amplamente ridículos e no entanto ferozmente defendidos, escape ao seu crivo desmistificador (aí incluindo até mesmo absurdos históricos da paranoia anticomunista americana, como atribuir aos Beatles e ao futebol intenções sinistras de domínio soviético).

Zen Socialismo é, assim, um livre compêndio de verdades tratadas com coloquialismo culto, boa informação, fluência e um toque ameno, como os melhores blogs da internet. A informação é vital, mas é também vital que o informante saiba dialogar com seu público. Isso Cynara sabe com perícia, e nos prova a cada página.

Sobre a autora:
Cynara Menezes nasceu na pequena Ipiaú, na região cacaueira da Bahia, em 1967. Formou-se em jornalismo pela UFBA (Universidade Federal da Bahia) aos vinte anos de idade, e desde então perambulou pelas principais redações de jornais e revistas do país até conquistar a independência profissional graças a seu blog Socialista Morena, uma experiência inovadora de financiamento pelos leitores, acompanhada por mais de 150 mil seguidores no Facebook. É também colunista da revista Caros Amigos.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER


NOSSOS CONTATOS

Geração Editorial
Rua João Pereira, 81
Lapa - São Paulo – SP
05074-070
Telefone: +55 (11) 3256-4444
geracaoeditorial@geracaoeditorial.com.br