Poemas de paixões e coisas parecidas

poemas_de_paixões

Poemas de paixões e coisas parecidas
Autora: José Carlos Vieira
Ilustrações: Carmen Santhiago e HQ de Kleber Sales
Gênero: Poesia
Acabamento: Brochura
Formato:  16 x 23 cm
Págs: 100
Peso: 183gr
ISBN: 9788581302034
Preço: R$ 29,90
Editora: Geração

Sinopse

A boa poesia é obra de alquimia solitária, incansável burilamento, lapidação do sentimento e da inspiração. Laboratório místico onde se desmonta e remonta cada palavra, retirando-a da linha reta, até extrair todos os seus segredo e dizer o indizível. Não é tarefa nada fácil, como nos mostra José Carlos Vieira em seus poemas, tratados com uma dignidade comovente. Só assim é possível fugir da efemeridade, da transitoriedade, e de fixar na memória do leitor. E tudo fica ainda mais interessante com as ilustrações de Carmem Santhiago e as histórias em quadrinhos de Kleber Sales. Os três não apenas somam – se multiplicam em sensações. Três em um; um por todos. Muito além da aritmética e da métrica.

__________________________________

Turbinando emoções

Geração Editorial lança Poemas de Paixões e Coisas Parecidas, do jornalista José Carlos Oliveira

A boa poesia é obra de alquimia solitária, incansável burilamento, lapidação do sentimento e da inspiração. Laboratório místico onde se desmonta e remonta cada palavra, retirando-a da linha reta, até extrair todos os seus segredos e dizer o indizível.

Não é tarefa nada fácil, como nos mostra José Carlos Vieira em seus poemas, tratados com uma dignidade comovente. Só assim é possível fugir da efemeridade, da transitoriedade, e se fixar na memória do leitor. E tudo fica ainda mais interessante com as ilustrações de Carmen Santhiago e as histórias em quadrinhos de Kleber Sales. Os três não apenas somam – se multiplicam em sensações. Três em um; um por todos. Muito além da aritmética e da métrica.

“Os poetas de antes de a vida cotidiana nos consumir em compromissos tinham todo o tempo para poetisar seu espanto diante desse mundo vasto mundo, suas dores e amores. Era tão vagarosa a vida que usávamos lápis e caneta. Como é que o editor do caderno “Diversão & Arte” do Correio Braziliense e, portanto, habitante de um planeta em contínuo estado de emergência consegue nos fazer rir com a coluna Fala, Zé, e nos envolver em paixão com sua poesia feita das coisas parecidas do amor? O poeta José Carlos Vieira existe numa dimensão paralela ao dos embates diários de uma redação de jornal. Transmutado em poesia, Zé Carlos nos devolve os versos que o jornalismo e a razão quase nos põe a perder.” Ana Dubeux, jornalista.

Sobre o autor

José Carlos Vieira é letrista, cronista, poeta… e tem ainda uma coluna semanal de humor, foi jogador de futebol na juventude, viajou pelo mundo e hoje é editor do caderno Diversão & Arte, do Correio Braziliense. Começou a escrever versos em muros, em livros mimeografados e em pernas de moças nos anos 1980.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER


NOSSOS CONTATOS

Geração Editorial
Rua João Pereira, 81
Lapa - São Paulo – SP
05074-070
Telefone: +55 (11) 3256-4444
geracaoeditorial@geracaoeditorial.com.br