Menina de ouro

untitled

Autor: F.X Toole
Gênero: Contos
Formato: 14×21 cm
Páginas: 304
ISBN: 857509133-6
Peso: 0.5 kg.
Preço: R$ 39,00

Sinopse:
Com traduções dos escritores Rubem Fonseca, Carlos Heitor Cony, Moacyr Scliar, Marçal Aquino, Luiz Fernando Emediato e Sérgio Dávila, Menina de Ouro traz as seis histórias sobre o mundo do boxe nas quais o cineaste Clint Eastwood se inspirou para o filme que ganhou quase todos os Oscars de 2005. Seu autor, Jerry Boyd, que publicou o livro já aos 70 anos, com o pseudônimo de F. X. Toole, era um velho treinador de Los Angeles que deu vida, de forma dura e amarga, aos personagens que gravitam em torno do mundo e do submundo das luta: boxeadores, treinadores, apostadores, vagabundos, mafiosos. Jerry Boyd morreu em 2004, dois anos depois da publicação do livro e um ano antes da estréia do filme, sem conhecer a glória – como treinador ou escritor. Só se transformou mesmo em sucesso depois do filme. Ele passara quarenta anos escrevendo e sendo rejeitado pelas editoras. As histórias de seus personagens densos, dramáticos, são tão tristes quanto as da própria vida do autor. Enquanto filmavam Menina de Ouro,– preocupava-se apenas com duas coisas: receber o dinheiro da venda dos direitos, porque já estava velho, e garantir que os produtores não mudassem o trágico final da história. As histórias do mundo do boxe e seus dramáticos personagens que vivem acertando contas com a dor das pancadas, o risco de morrer, a exploração dos empresários, os duros golpes do destino, como o desemprego, a marginalidade e a fome foram, em Menina de Ouro, traduzidas por mestres da literatura brasileira. Cada um – sem ferir o seco estilo narrativo de Toole – reconstruiu suas frases, em português, para que conheçamos, numa prosa de qualidade, a obra deste imprevisto e surpreendente autor.

————————————————————————

Menina de Ouro
“Menina de Ouro” chega às livrarias

O livro traz histórias tristes e tensas sobre boxeadores, treinadores, apostadores, vagabundos, mafiosos e todo o mundo que gira em torno do boxe. Seu autor, um velho treinador de Los Angeles, morreu sem conhecer a glória – como treinador ou escritor. Mas o livro – Menina de Ouro – virou filme de sucesso mundial e as seis histórias que lhe deram origem só agora chegam ao Brasil, com traduções pelas mãos de cinco escritores renomados e um grande jornalista: Rubem Fonseca, Carlos Heitor Cony, Moacyr Scliar, Marçal Aquino, Luiz Fernando Emediato e Sérgio Dávila (ex-correspondente da Folha de S. Paulo na Califórnia).

Estamos falando de Menina de Ouro. Seu autor, F.X. Toole, se chamava na verdade Jerry Boyd, ia fazer setenta anos de idade e era um obscuro treinador no mundo do boxe profissional, em Los Angeles, nos Estados Unidos, quando o livro foi publicado, no ano 2000, com o título de Rope Burns (Cordas Queimam). Passara quarenta anos escrevendo e sendo rejeitado pelas editoras. Mas as histórias foram transformadas em filme por Clint Eastwood – uma produção requintada que ganhou quase todos os Oscars em 2005. Toole não pôde gozar tais glórias: morrera dois anos depois da publicação do livro, em 2002. 

As histórias de seus personagens densos, dramáticos, são tão tristes quanto as da sua própria vida. Enquanto filmavam Menina de Ouro – que ele não chegou a ver concluído – preocupava-se apenas com duas coisas: receber o dinheiro da venda dos direitos, porque já estava velho, e garantir que os produtores não mudassem o trágico final da história. 

Seu agente literário, Nat Sobel, conforme narrado por Steven Zeitchik na revista Publisher Weekly, garantiu tudo isso para o velho Jerry Boyd. Só não pôde garantir, é claro, que ele pudesse curtir o sucesso de sua obra, pois a morte o colheu antes. Sobel foi o real descobridor de Toole. Ele havia lido um pequeno conto dele, numa revista literária, e foi atrás daquele estranho e ranzinza autor de Los Angeles. Onde morava, ninguém o conhecia, porque tinha outro nome – Jerry Boyd – e ninguém sabia que era escritor. 

No final das contas, entregou para Sobel um monte de histórias e foi este seu primeiro livro, disputado acirradamente na Feira de Frankfurt. A glória tardia, no entanto, só veio com o filme, mas era tarde para o velho treinador. 

Morto, descobriu-se que ele tinha guardado em casa um romance monumental, Pound for Pound, com 850 páginas, inconcluso. Os três filhos de Toole e um especialista em restauração de originais estão trabalhando para dar forma a esta obra póstuma, que conta a história de um treinador irlandês-americano de meia-idade e um jovem de descendência mexicana que ele reluta em treinar. De acordo com Sobel, o livro lida com “a dor que um boxeador tem que suportar para conseguir vencer”. Os direitos do romance para o cinema já foram comprados por Taylor Hackford, o roteirista indicado para o Oscar e diretor de Ray, a biografia de Ray Charles. 

As histórias do mundo do boxe e seus dramáticos personagens que vivem acertando contas com a dor das pancadas, o risco de morrer, a exploração dos empresários, os duros golpes do destino, como o desemprego, a marginalidade e a fome foram, em Menina de Ouro, traduzidas por mestres da literatura brasileira. Cada um – sem ferir o seco estilo narrativo de Toole – reconstruiu suas frases, em português, para que conheçamos, numa prosa de qualidade, a obra deste imprevisto e surpreendente autor.

Como explica o escritor e editor Luiz Fernando Emediato – um dos tradutores de uma das seis histórias – “achei que o velho Boyd merecia ter sua obra em português em texto de escritores, cada um burilando, com sua sensibilidade, esta grande obra de arte. Toole – ou Boyd – tem um pouco de Hemingway no estilo seco, duro e cortante. Traduzi-lo, porém, não foi fácil, porque tem muitos termos técnicos do boxe e muita gíria de negros e latinos. Deu algum trabalho, mas foi fascinante”.

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER


NOSSOS CONTATOS

Geração Editorial
Rua João Pereira, 81
Lapa - São Paulo – SP
05074-070
Telefone: +55 (11) 3256-4444
geracaoeditorial@geracaoeditorial.com.br