Francisco – Um papa do fim do mundo

papa_fim_do_mundo

Francisco: um papa do fim do mundo
Autor
: Gianni Valente
Tradução: Fulvio Lubisco
Gênero: Biografia
Acabamento: Brochura
Formato: 13,5 x 21 cm
Págs: 96
Peso: a definir
ISBN: 9788563420480
Selo: Jardim dos livros
Preço: R$ 19,90

Sinopse

Eis o papa: pastor piedoso dos pobres e crítico dos poderosos sem ética e valores morais

Neste que foi o primeiro livro publicado sobre o papa Francisco, o especialista em religião e Vaticano Gianni Valente, amigo do cardeal Jorge Mario Bergoglio desde 2002, traça um perfil do líder religioso argentino, de seu trabalho junto aos pobres nas favelas e da ação de suas ideias.

Ele parece aqui como pastor generoso e caridoso de seu desvalido rebanho de fiéis, mas também como crítico destemido do liberalismo econômico, da especulação financeira, da evasão fiscal, da falta de respeito às leis e da corrupção política e empresarial.

Um perfil sucinto, mas poderoso, do papa que a cada dia surpreende o mundo com seus gestos.

____________________

O CAMINHO DE FRANCISCO, DAS FAVELAS DE BUENOS AIRES PARA OS PALÁCIOS DO VATICANO

Na década de 1960, um grupo de sacerdotes foi morar nas favelas de imigrantes da capital argentina, para apoiá-los nas lutas políticas e sociais, mas acabaram mudados pela devoção simples das pessoas que queriam instruir. Em 2001, quando a economia argentina entrou em colapso, os efeitos sobre a população argentina pobre foram devastadores. O papel daqueles padres e de seus discípulos — entre os quais estava o então arcebispo de Buenos Aires, Jorge Mario Bergoglio, o atual papa Francisco — foi decisivo para consolar e orientar aquelas pessoas.

O jornalista Gianni Valente, um dos maiores especialistas em catolicismo do mundo, foi várias vezes à Argentina, desde 2002, e tornou -se amigo do arcebispo que veio a ser cardeal e finalmente papa. O primeiro livro sobre o papa Francisco — seu estilo, suas ideias — é este singelo “Francisco — o papa do fim do mundo”, publicado na Itália 30 dias após a eleição de Francisco e agora lançado no Brasil. Não se trata de uma biografia a, mas de uma boa reportagem que mistura lembranças, situações e — o que mais importa — as ideias desse papa que se revelou, desde o primeiro dia, bem diferente de seus antecessores.

Francisco é apresentado juntamente com aqueles padres que, nas favelas, ouviam o choro escondido — para que os filhos não vissem — dos pais e mães que haviam perdido o emprego e não viam nenhuma perspectiva de futuro. Aqueles padres enfrentavam o desalento, a violência, o tráfico de drogas, mas não abandonavam o seu rebanho.

O futuro papa Francisco aparece aqui como o pastor generoso e caridoso daquele rebanho, mas também como o firme defensor dos dogmas católicos e crítico destemido do liberalismo econômico, da especulação financeira, da corrupção política e empresarial.

A dilapidação do dinheiro do povo, o liberalismo extremo mediante a tirania do mercado, a evasão fiscal, a falta de respeito à lei, a perda do sentido do trabalho são temas que o futuro papa Francisco enfrenta com firmeza, diante do amigo jornalista que não o poupa de nenhuma pergunta.

O culto ao dinheiro fácil, nos diz Francisco, é como se fosse uma idolatria, a homenagem a um bezerro de ouro que a Igreja precisa enfrentar, aliada aos homens de bem. O império do dinheiro acaba com o trabalho, o meio pelo qual se expressa a dignidade do homem.

Assim, ele fala de apostolado, da missão da Igreja desde sempre, das drogas, do trabalho missionário dos padres nas cidades e no campo — sempre, de preferência, junto aos pobres. Homem simples, de hábitos austeros, o papa Francisco a cada dia surpreende o mundo com seu jeito diferente de ser. Este livro rápido e singelo é útil ao mostrar o homem desde o início de seu apostolado, deste lado do mundo — um papa que, mesmo com os trajes de arcebispo, deixava a Cúria em Buenos Aires, tomava o metrô, depois um ônibus  e caminhava firme para as favelas onde abençoava os lares e festejava um santo ou a Virgem, tomando com o povo um pouco da sopa de carne e milho que os portenhos pobres cozinham ao ar livre para si e os amigos.

Sobre o autor

GIANNI VALENTE é jornalista da agência Fides, colaborador do site Vaticaninsider, do diário La Stampa e da revista de geopolítica Limes. Trabalhou também na revista mensal 30giorni, publicada em vários idiomas, e para a qual fez as reportagens e entrevistas que deram origem a este livro. Valente escreveu dois livros sobre o papa Bento XVI, Ratzinger professore e Ratzinger al Vaticano.

 

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER


NOSSOS CONTATOS

Geração Editorial
Rua Gomes Freire, 225
Lapa - São Paulo – SP
05075-010
Telefone: (11) 3256-4444
geracaoeditorial@geracaoeditorial.com.br