ADHEMAR
A fantástica história de um político populista desbocado, amado e odiado, inspirador do infame lema “rouba, mas faz”, que participou do golpe militar de 1964, foi posto de lado pelos generais e morreu exilado em Paris, depois de marcar sua época e história do Brasil.

DEUSES DO OLIMPO
Explore o universo mágico da Grécia Antiga e conheça as histórias dos personagens mais famosos da mitologia. Um livro para gente pequena e gente grande tambécm! ( + )

OS VENCEDORES
Quem ganhou, perdeu. Quem perdeu, ganhou. Cinquenta anos após o advento da ditadura de 1964, é assim que se resume a ópera daqueles anos de chumbo, sangue e lágrimas. Por ironia, os vitoriosos de ontem habitam os subúrbios da História, enquanto os derrotados de então são os vencedores de agora. ( + )

A VILA QUE DESCOBRIU O BRASIL
Um convite a conhecer mais de quatro séculos de história de Santana de Parnaíba, um município que tem muito mais a mostrar ao país. Dos personagens folclóricos, tapetes de Corpus Christi, das igrejas e mosteiros, da encenação ao ar livre da “Paixão de Cristo”. Permita que Ricardo Viveiros te conduza ao berço da nossa brasilidade. ( + )

O BRASIL PRIVATIZADO
Aloysio Biondi, um dos mais importantes jornalistas de economia que o país já teve, procurou e descobriu as muitas caixas-pretas das privatizações. E, para nosso espanto e horror, abriu uma a uma, escancarando o tamanho do esbulho que a nação sofreu. ( + )

CENTELHA
Em “Centelha”, continuação da série “Em busca de um novo mundo”, Seth vai precisar ter muita coragem não só para escapar da prisão, mas para investigar e descobrir quem é esse novo inimigo que deixa um rastro de sangue por onde passa. A saga nas estrelas continua, com muita ação de tirar o folego! ( + )

MALUCA POR VOCÊ
Famosa na cidade pelos excessos do passado, Lily terá de resistir ao charme de um policial saradão oito anos mais jovem que acaba de chegar na cidade. Prepare-se para mais um romance apimentado e divertidíssimo escrito por Rachel Gibson.. ( + )

NOS IDOS DE MARÇO
A ditadura militar na voz de 18 autores brasileiros em antologia organizada por Luiz Ruffato. Um retrato precioso daqueles dias, que ainda lançam seus raios sombrios sobre os dias atuais. ( + )





Browsing articles in "Mídia"
dez 19, 2015
admin

#LeiaMulheres: 23 livros escritos por mulheres que você precisa ler

Quantos livros escritos por mulheres você leu neste ano? Quantos livros escritos por mulheres você já leu no decorrer de toda sua vida?

A chance de você dizer que leu pouquíssimas autoras é bem grande.

Embora mulheres brasileiras tendam a ser maioria como leitoras, elas têm baixa representatividade na literatura.

Aproximadamente 80% dos escritores convidados da Festa Literária de Paraty (Flip) deste ano eram homens, segundo o G1.

Dos atuais 40 membros da Academia Brasileira de Letras (ABL), apenas cinco são mulheres.

Fora do Brasil, a situação não é muito diferente.

A organização VIDA, em 2014, reportou um crescimento na quantidade de mulheres escrevendo resenhas de livros, assim como análise de obras escritas por mulheres, mas há um longo caminho a ser percorrido para haver igualdade de gênero no mundo literário.

O movimento Leia Mulheres quer expandir o alcance das publicações escritas por mulheres. E, em apoio a essa iniciativa, o HuffPost Brasil fez esta diversificada lista de 23 livros escritos por mulheres.

Focada em lançamentos recentes, ela evidencia a riqueza da produção literária (e de quadrinhos) feminina.

‘Americanah’, de Chimamanda Ngozi Adichie
slide_460398_6212800_free
Nigéria, anos 1990. O país está sob o comando de um governo militar. A jovem Ifemelu decide deixar sua terra natal para partir aos Estados Unidos, a fim de estudar. Lá, ela vive dificuldades decorrentes de preconceitos por ser mulher, negra e imigrante, mas isso não vai impedi-la de se realizar. Quinze anos depois, ela volta à Nigéria e encontra seu país diferente. Um amor da adolescência também já não é mais o mesmo. Americanah é o romance de sucesso da renomada e premiada Chimamanda Ngozi Adichie, atualmente um ícone literário e feminista. 

Editora: Companhia das Letras
Páginas: 520
Preço: R$ 54; e-book R$ 38

‘A Amiga Genial’, de Elena Ferrante

slide_460398_6212474_free
No primeiro livro da tetralogia Napolitana, as meninas Elena e Rafaella se tornam grandes amigas, em plena cidade italiana de Nápoles nos anos 1950. Apesar de quererem muitas coisas em comum e fazerem planos, algo faz as duas seguirem caminhos distintos na vida. Isso é explorado pelos outros livros da série, que aborda a amizade feminina e as transformações sociais pós-II Guerra Mundial. O mistério sobre este bestseller é sua reclusa autora (ou autor?), que usa o pseudônimo Elena Ferrante e se recusa a se identificar publicamente. 

Editora: Globo Livros
Páginas: 336
Preço: R$ 44,90

‘Holocausto Brasileiro’, de Daniela Arbex
slide_460398_6212968_free
Daniela Arbex, jornalista da Tribuna de Minas, resgata a memória e a identidade das 60 mil pessoas mortas no hospício Colônia, na cidade de Barbacena (MG), que funcionou durante a maior parte do século 20. Aproximadamente 70% dos internados não tinham doença mental alguma – eram homossexuais, mulheres vítimas de estupro e alcoólatras, entre outras pessoas de diversas origens e realidades. Sob tutela do Estado brasileiro, elas foram perversamente desumanizadas. Enquanto o manicômio lucrava com a morte, diversos desrespeitos aos direitos humanos aconteceram ali. Holocausto Brasileiro recebeu em 2014 o prêmio Jabuti na categoria de reportagem. 

Editora: Geração Editorial
Páginas: 256
Preço: R$ 39,90; e-book R$ 19,90

Conheça os demais (aqui)

Fonte: BrasilPost

dez 15, 2015
admin

Que tal se hospedar em um hotel literário?

Óbidos é uma pequena cidade medieval encravada no interior português. Tem tudo o que se imagina em um conto de fadas: um castelo no alto de um morro, muralhas cercando o perímetro e pequenas casas adornando uma paisagem com morros verdes e céus azuis. 

Passear por Óbidos é, por si só, algo absolutamente inspirador. Mas nada é tão bom que não possa melhorar 🙂 

E sabe como? Com a inauguração de um “hotel literário”. 

O nome já diz tudo: é um hotel (extremamente charmoso, diga-se de passagem) com livros por absolutamente todos os cantos. Veja na imagem abaixo: 

IMG_0461

Já imaginou uma sala de estar assim? Com cultura literalmente saindo pelas paredes? 

E quer saber os números? No total, são 30 quartos e – pasmem – 45 MIL livros. Veja, abaixo, o site deste hotel (cujo nome, The Literary Man, não poderia ser melhor escolhido): http://www.theliteraryman.pt

E, se for passear pela terrinha, pense seriamente em entrar nesse mundo de letras que efetivamente vive dentro de uma cidade que é um conto de fadas por si só.

dez 8, 2015
admin

15 filmes que fazem você repensar toda sua vida

Todo mundo tem seus filmes preferidos. Aqueles que formam o caráter, ou que foram vistos em momentos especiais, outros com atuações incríveis e alguns com histórias marcantes. Mas e quando o filme tem a capacidade de mudar vida de quem assiste?

Ainda que o conceito seja bastante subjetivo, há algumas histórias que são tão bem contadas que nos deixam com cara de bobo quando os créditos começam a rolar na tela. É aquele tipo de roteiro que não sai da sua cabeça por dias e que você quer mostrar para todo mundo só para poder dividir esta experiência.

A lista é longa, mas preparamos uma seleção com 15 destes filmes que fazem você repensar toda a sua vida e que foram lançados nas últimas décadas. Quem sabe eles não incentivam alguém a mudar a maneira como age com as pessoas e o mundo ao seu redor. Confira:

1 – A Lista de Schindler (Schindler’s List, 1993)

1

Na história do cinema contemporâneo, mais comuns do que filmes biográficos, só aqueles sobre a Segunda Guerra Mundial. Apostando em uma fórmula de ouro, “A Lista de Schindler” resolveu unir os dois gêneros ao contar a emocionante trajetória do alemão Oskar Schindler. Bem relacionado com a SS, a polícia nazista, ele se apropria de uma fábrica de panelas polonesa em 1939, depois da criação do Gueto de Varsóvia e do decreto que proibia que judeus fossem proprietários de negócios. Utilizando sua posição privilegiada, emprega e salva a vida de mais de mil judeus poloneses. Mostrando cenas fortes de campos de concentração e da violência dos nazistas, o longa é filmado em preto e branco, garantindo uma imersão no clima da época. Lembre-se de apertar o play tendo uma caixa bem grande de lenços à mão. Você vai precisar.

2 – Efeito Borboleta (The Butterfly Effect, 2004)

2

Outro filme que lida com a questão do passado e das escolhas, Efeito Borboleta faz o que cada um de nós já teve vontade de fazer pelo menos uma vez na vida: voltar ao passado para mudar algo de que nos arrependemos. Em seguida, o enredo mostra como o protagonista, interpretado por Ashton Kutcher, lida com a questão das consequências que atitudes como essa causam. Cada mudança gera uma tempestade em sua vida, alterando o curso dos acontecimentos de forma incontrolável. Talvez o recado seja mesmo esse: preste bem atenção no presente, ele é a única chance que temos de fazer qualquer coisa.

3 – Intocáveis (Intouchables, 2011)

3

Filme mais recente desta lista, “Intocáveis” lida com um tema sensível como a deficiência física de uma forma livre de tabus. Driss é o típico jovem egoísta e autocentrado que passa a cuidar de um aristocrata tetraplégico. Apesar dos conflitos, os dois passam a cultivar uma inesperada amizade baseada no respeito e na sinceridade. O resultado é um aprendizado mútuo sobre a condição humana.

4 – Up – Altas Aventuras! (Up, 2009)

4

Já faz tempo que as animações deixaram de ser coisa de criança. Apesar do tom mais leve que um filme assim costuma ter, “Up” tem uma bonita história de amizade e passa uma mensagem importante de valorização e recomeço, independentemente da idade ou dos sonhos que ficaram para trás. Ah, e tem também cachorros falantes. Nada pode ser mais inspirador do que cachorros falantes.

5 – A Vida é Bela (La Vita è Bella, 1997)

5

Se há algum filme que pode ser apontado como capaz de mudar a forma como lidamos com nossos problemas, este filme é “A Vida é Bela”. Dirigido e estrelado pelo italiano Roberto Benigni, o filme encara de frente a temática da Segunda Guerra Mundial sob o ponto de vista dos judeus forçados a trabalhar e morrer nos campos de concentração. Os esforços de Guido para tornar o fardo menos pesado para o pequeno Giosué são tristes, engraçados, inspiradores e belos como a vida. Uma história de amor entre pai e filho poucas vezes retratada com tanto carinho no cinema.

Fonte: Conte Outra

Páginas:«123456789...28»

CADASTRE-SE EM NOSSA NEWSLETTER


NOSSOS CONTATOS

Geração Editorial
Rua João Pereira, 81
Lapa - São Paulo – SP
05074-070
Telefone: +55 (11) 3256-4444
geracaoeditorial@geracaoeditorial.com.br